10 de setembro de 2014

Devaneios de uma garota imperfeita.

        Pra começar, esse texto é um esboço do meu sentimento momentâneo... Uma válvula de escape para os dias em que ninguém dá a mínima para os meus desabafos e dores internas. Ontem eu tive um dia péssimo, e voltei pro blog um pouco mais melancólica e decidi escrever sobre isso. Afinal, quando não temos para onde correr, procuramos achar solução, nos acalmar, com a nossa própria companhia. Nada mais confortante que entrar em colapso com o 'eu crítico' que temos dentro de nós e fazer dele um repouso da mente.

       A gente cria um mundo perfeito dentro das nossas cabeças. Procuramos ver sempre o lado positivo de tudo, porque criar a imagem de que tudo está bem alivia instantaneamente o problema. E isso está nos olhos de quem vê ou só no de quem sente?

       A questão é que vivemos ao redor de uma sociedade que julga, que te apunhala, que aponta o dedo na cara pra dizer o que é certo e o que é errado. Eu não estou aqui para seguir padrões, eu sou livre! Pra pensar, pra agir, pra dizer, escolher... doa a quem doer. Demorei pra aprender que ser quem eu quero ser só diz respeito a mim mesma. Sofri. Me machuquei muito, e ainda curo feridas internas que só Deus sabe o quanto me dói quando remoídas. A cura? Os dias passados com muita reflexão em cada um deles. 

       Chega uma hora em que você acorda e cai na real: é perda de tempo se preocupar! Muitas perguntas tomam conta da minha mente confusa... 'Eu vou dar satisfação pro mundo? Eu vou ser o que eles querem ou o que eu quero? Ser um protótipo de pessoa perfeita nos moldes da sociedade e custear a sua felicidade nisso?' - a resposta é que a vida é uma só. Devemos vivê-la de uma maneira tão intensa sendo feliz, que não vai sobrar tempo pra pensar em quem estamos agradando. Posso dizer que, quando mais nos vemos tristes, tiramos forças para superar e continuar. O que aconteceu comigo ontem, me abalou, mas me fortaleceu ainda mais. Otimismo, egocentrismo e muitas coisas elevaram pra mil depois do que passei. Aprender a se amar, se valorizar e respeitar as condições que Deus nos dá é essencial pra viver nessa loucura que é o mundo de hoje. Eu não sobrevivo de acordo com a opinião alheia. Quem você pra me julgar? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá querido leitor/leitora! Obrigada por vir comentar no meu cantinho, fico muito feliz com a sua visita. Se você também tem um blog, deixe o link dele aqui que eu irei retribuir a visita com o maior prazer. Beijinhos ❤