MENUN

06/06/2018

Dicas financeiras para praticar! 🌸

Aquele papo de poupar para a aposentadoria ou investir todo o 13º salário não pode mais ser considerado assunto chato, viu? Dinheiro é assunto sério, ainda mais nos momentos de instabilidade política, como o que o país está enfrentando!

Ok, é possível que você esteja pensando que ainda é muito jovem para se preocupar com isso. Certo? Mais ou menos. Os conselhos que listei abaixo (com base na lista da Glamour) vão te mostrar que sim, já é hora de encher o cofrinho para o futuro. Confira...

(Imagem retirada da Internet)

1. Acompanhe seus gastos. Não tem jeito, você precisa saber o quanto está gastando. E sabe porquê? Por que aqueles vários R$ 15 de corridas gastas na uber, lá no fim do mês, podem virar R$ 1 mil. Então, olhe a conta bancária toda a semana, analise seu extrato e use aplicativos de controle.

2. Reserve um tempo para as finanças. Sim, você pode (e deve!) investir seu dinheirinho para o futuro. E nada de pensar que investimento é papo para ricos e empresários, ok?

3. Anote suas metas. Quando você tem um objetivo, fica muito mais fácil. E vale tudo: pode ser uma viagem internacional, uma festa de casamento, a compra da casa própria, a aposentadoria... Também é importante saber exatamente do quanto você precisa para atingi-la e o tempo que você vai precisar para chegar lá.

4. Fique atenta aos gastos recorrentes. É a chamada regra “10 mil – 300”. Ainda não conhece? Eu te explico: Em 20 anos, gastos diários representarão um valor 10 mil vezes maior. Já os gastos mensais serão 300 vezes maiores. Então, aquele lanchinho de R$ 5 que você compra todos os dias na faculdade serão, daqui 20 anos, uma despesa de R$ 50 mil. Já pensou? 😢

5. Tenha mais de uma fonte de renda. Não, isso não quer dizer que você vai ter que se matar de trabalhar, ok? A ideia, é aumentar a renda de forma saudável. Por exemplo: Se você arrasa na cozinha, vale combinar com o pessoal do escritório que você ficará responsável por produzir o bolo dos aniversariantes do mês, em troca de uma contribuição fixa.

6. Xô, tarifas! Tarifa do cartão, da conta corrente, do plano do celular, etc... Pagar altas tarifas não é nada chique! Então, nada de vergonha e ligue já no banco para renegociar as taxas.

7. Faça um planejamento de gastos. Pode parecer esquisito mas te garanto que é facil! Você pode começar com a regra dos 50-15-35. É assim: 50% do seu salário vai para os gastos essenciais, como moradia e educação; 15% para as prioridades financeiras, como o pagamento do empréstimo ou investimento (se você já estiver com a vida financeira em dia); e 35% para as coisas que te dão prazer – como os jantares do fim de semana.

8. Crie novos hábitos. Cuidar das finanças é como fazer reeducação alimentar. É preciso tempo e rotina para se acostumar com os novos hábitos. E vá com calma. Atitudes radicais, como cortar aquele cafezinho na padaria – pode trazer mais frustração do que prazer.

9. Tenha um estilo de vida que caiba no seu salário. Seus gastos têm que ser proporcionais ao seu salário – ponto final! Com um estilo de vida que cabe no seu bolso, as chances de você se apertar em dívidas, parcelas e gastos desnecessários é quase nula.

10. Priorize as saidinhas. Não estou querendo dizer que você tem que passar o fim de semana inteiro trancada em casa, ok? Mas, escolher apenas um dia do fim de semana para sair vai causar um impacto positivo giga nas suas economias.

11. Não tenha vergonha de dizer não para os amigos e família. Sabe aquela história do fim de semana na praia ou aquela saidinha “de boas” para beber? Então, elas custam dinheiro. E você está precisando economizar, o não é a melhor resposta.

12. Cuidado com as exceções. Sabe aquele pensamento: “mas é só desta vez?”. Então, tenha cuidado com ele, ok? O autocontrole é o melhor amigo de uma vida financeira saudável.

13. E com as recompensas! Assim como tópico anterior, a história do “eu mereço isso ou aquilo” também pode ser perigoso. Cuidado, hein mana!

14. Não superestime a sua renda. Achar que o valor real-oficial do nosso salário é o bruto e não o líquido (aquece dinheiro que realmente cai na conta depois dos descontos) é normal, viu? Assim como contar com aquele valor do cheque especial ou limite do cartão de crédito. #FicaADica: Tenha o que de fato entra na sua conta, e o que sai dela, anotado. Isso vai te ajudar a manter o controle.

15. Compre nas promoções e peça descontos. Sim, vale esperar o término das estações para renovar o guarda-roupa. Outra maneira de economizar nas compras é pedir descontos. Se você fez uma pesquisa de preços em diversas lojas, tem propriedade para negociar com o vendedor.

16. Sim, VR é dinheiro. Não dá para esquecer: o dinheiro do vale refeição é parte da remuneração, sim. Por isso, não dá acabar com ele logo na primeira metade do mês, hein?

17. Use a renda extra com inteligência. Sabe aquele crédito da nota fiscal paulista, a restituição do Imposto de Renda ou o tão aguardado 13º salário? Eles são ótimos recursos para serem aplicados em investimentos ou para quitar despesas inevitáveis. Não gaste tudo com besteiras, ok?

18. Fuja do cheque especial. Aquele dinheirinho “falso” que você tem disponível na sua conta corrente é uma das maiores armadilhas do mundo das finanças, já que os juros adicionados são altíssimos! Então, fuja mana. Eu mesma já caí nessa..

19. Atenta ao limite do cartão. Ter um limite altíssimo no cartão de crédito pode, sim, ser um estímulo ao consumo. Avalie seu estilo de vida e tenha um cartão com um limite proporcional a ele. E, claro, cuidado com os gastos no cartão. Não saia parcelando tudo. Avalie a necessidade de parcelamento e compra.

20. Um cartão é o suficiente! Se um cartão já é um baita estímulo ao consumo, agora imagina ter dois ou três na carteira? Super perigoso! Sem falar que você estará pagando mais de uma tarifa.

21. Precisa de um empréstimo? Fique de olho na CET. Além da taxa de juros, se informe sobre o Custo Efetivo Total, o CET. Os bancos são obrigados a divulga-la e é ela que você deve comparar, a fim de descobrir qual banco oferece a melhor oportunidade. Esse custo já inclui os juros e outras despesas que costumam ser escondidas, como taxa de abertura de conta, impostos, etc.

22 . Invista, já! Tem um dinheiro guardado na poupança e confia na estabilidade deste investimento – pelo baixo risco de perda? Saiba que o Tesouro Direto - que, em português claro, significa emprestar o dinheiro para o Temer - pode ser uma boa opção para começar. Algumas corretoras de investimentos (sim, elas cobram taxas bem menores que os bancos comuns) como a Easyinvest, permitem simulações online do quanto seu dinheiro pode render.

23. Tenha uma reserva de emergência. Ter um montante guardado para as emergências, como o conserto de um carro batido ou a perda do emprego, é mega importante. O indicado é ter o equivalente a 6 meses de salário reservados. É difícil, eu sei... Mas se sua condição permite, FAÇA!

24. Fale sobre dinheiro! Dinheiro não pode ser tabu e vale super pedir a opinião dos amigos, familiares e parceiro (a) para descobrir o melhor investimento, taxa ou compra.

25. Não tenha pressa para ficar rica. Quem foi que disse que aos 20 você já tem que ter um carro, aos 30, uma casa e aos 35, um milhão na conta? Por mais clichê que possa parecer, cada um tem o seu tempo e, nas finanças, a direção é mais importante que a velocidade. 😉

O post ficou super longo, eu sei, mas tudo foi preciso para torná-lo útil. Espero que tenham gostado e claro, aprendido a lição rs. Deixe seu comentário aqui, caso já pratique algum desses itens. Vou amar saber! ❤

 Confira o vídeo novo no canal:


ME ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS:
Instagram | FanPage | Youtube | Snapchat: karlasoaress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá querido leitor/leitora! Obrigada por vir comentar no meu cantinho, fico muito feliz com a sua visita. Se você também tem um blog, deixe o link dele aqui que eu irei retribuir a visita com o maior prazer. Beijinhos ❤